Quarta-feira, 30 de Agosto de 2006

Já agora: Sou um "Talento", "Vida-boa" ou "Mandarin"?

Eis a (inesperada) resposta :

I'm a Talent!

You're a risk-taker, and you follow your passions. You're determined to take on the world and succeed on your own terms. Whether in the arts, science, engineering, business, or politics, you fearlessly express your own vision of the world. You're not afraid of a fight, and you're not afraid to bet your future on your own abilities. If you find a job boring or stifling, you're already preparing your resume. You believe in doing what you love, and you're not willing to settle for an ordinary life.

 

Talent: 59%
Lifer: 26%
Mandarin: 46%

Take the Talent, Lifer, or Mandarin quiz.

 --------------------

Embora possa parecer frívolo, afinal o teste é baseado em algo mais do que à primeira vista poderiamos pensar. O autor explica aqui.


sinto-me: aéreo
|| tags: ,
publicado por Sergio às 08:42
link do post | comentar | favorito

Mais um "Quiz"...

Há tempos atráz verificamos que, quanto a liderança, a minha figura política era o Saddam Hussein e o meu "filme" era o "Raiders of the Lost Ark". Cool. Agora, fui ver que carro eu seria! LOL!

I'm a Porsche 911!

You have a classic style, but you're up-to-date with the latest technology. You're ambitious, competitive, and you love to win. Performance, precision, and prestige - you're one of the elite,and you know it.

Take the Which Sports Car Are You? quiz.

 

sinto-me: good
|| tags: ,
publicado por Sergio às 08:26
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 28 de Agosto de 2006

Banca rima com quê??

Numa total e radical mudança de ares, quiz o destino presentear-me com a duvidosa honra de me pôr a trabalhar num banco. Não, não vos vou revelar qual deles é que é. Apenas me atrevo a dizer que é grande e é Português.

Assim, penso que não é necessário descrever exaustivamente as razões que me levam a ter tido uma longa ausencia neste blog. Simplesmente, com o enfado total de trabalhar aqui, e apesar de tal não ter afectado a minha insónia, quando chego a casa quero fazer de tudo menos algo que me lembre este fastidioso, estéril e retardado ambiente. Por isso, nem olho para o computador. Aliás, faço sempre o mesmo esforço de também ignorar olimpicamente as garrafas no meu bar, resistindo pertinazmente à tentação de me anestesiar apropriadamente até à inconsciencia total, profunda e perigosamente intoxicante.

"Eh pá, isso não pode ser assim tão mau!", objectam os que me conhecem mas ignoram a verdadeira natureza da minha provação. È que, acreditem, só mesmo para quem ainda não viu mais nada, como esses todos funcionários bancários que por aqui vegetam - e, justiça faço, nem todos abjectos e amorfos - é que se pode sobreviver, ou melhor, sofrer este calvário povoado por incompetentes e outros indigentes corporativos. Afinal, são mais as vítimas, os acomodados ao saláriozinho mensal, frustrados mas piedosamente aderentes, do que os cretinos. O facto porém é que são os cretinos e os incompetentes que chefiam, e são estes que dão nas vistas, de duas formas distintas: tanto para reclamarem louros do que os outros realizam, como para se mostrarem como os verdadeiros condutores da manada.

Felizmente que tudo isso me é transparente, não fosse eu, ingrata e injustamente, julgar todos pela mesma bitola.

Mas enfim, aqui estou. Ansioso para voltar a outras oportunidades, mas grato por pelo menos ter trabalho, ou melhor, grato por me deixarem ainda sobreviver no meio desta trampa (acho que encontrámos a tal rima ) de politiquices, incompetencias, mexeriquices et al. Não é que antes eu não visse tais porcarias, só que eram muito menos, muito mais diluídas, sei-o agora.

Adivinho a inspiração, já a mostrar as garras, que me vai de novo povoar as insónias. Amigos e amigas, ah!, tenho algumas novas para vos contar! E vou ficar todo contente por o fazer!

A última vez que me senti assim, já há muitos anos, acabei por fazer um grande disparate. Tento resistir à tendencia,. agora, para enfiar o pé no monte, de novo, mesmo que para tal tenha que sobreviver enterrado até à gorja noutro monte... Enfim, porque é que não há escolhas perfeitas?
sinto-me:
|| tags: ,
publicado por Sergio às 15:27
link do post | comentar | favorito

|| mais ...

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
23
24
25
26
27
28
29
30

|| posts recentes

Desistir da Felicidade é ...

Havia uma luz...

All is forgotten...

Sem dormir, outra vez

Desculpem...

A rasoura de Occam, o meu...

Queres ser Escritor em Po...

Não é giro, mesmo, que fa...

Sera que vem aí o bom tem...

Fraude no paraíso das ant...

Praxe Administrativa

Estíolo

A doce calmaria

Acabei de notar...

Manifesto (de Janeiro...)

|| arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Março 2011

Fevereiro 2009

Setembro 2008

Fevereiro 2008

Junho 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Dezembro 2005

|| tags

todas as tags

|| favoritos

Efeméride

Os velhos do restelo

|| links

|| imagens

blogs SAPO

subscrever feeds