Sexta-feira, 1 de Dezembro de 2006

A vigília e a Insónia


De repente, quase sem dar por isso, as minhas insónias de que tanto tenho aqui falado, e que são o tema absoluto e central deste blog, tranformaram-se em vigílias. Engraçado, não? Qual é a diferença?

Pois

Sem querer cair de novo (eh pá, não resisto!) no risco do cliché fácil, eu diria que se trata simplesmente do ciclo natural do universo.

Ele muda, ele tranforma-se, ele destrói-se, mas reconstrói-se, ele é inexorável e imparável, ele deixa-nos vulneráveis, mas renova-nos e fortifica-nos. A renovação surpreendente, permanente, milagrosa e que nos mantém a esperança viva - ou nos assusta, faz estremecer, nos impele a escondermo-nos num cantinho e esperar que passe. Mas que nos faz renascer sonhos que já tinhamos perdido e procurávamos sem sucesso no nosso íntimo, duvidando sinceramente de que os tinhamos tido, de todo. Que nos faz ter lágrimas de alegria e sorrisos de pura felicidade, sorrisos involuntários, verdadeiros, expontâneos e impossíveis de imitar ou reproduzir quando queremos.  Daqueles que gostavamos de guardar numa fórmula secreta para mais tarde reutilizarmos quando nos apetecesse sentirmo-nos da mesma forma outra vez - ou, menos honestamente, quando quizessemos impressionar alguém ... ;-)

De repente, vejo-me acordado, mas a sonhar. Acordado, mas a sorrir. A olhar para nada, mas a ver tudo, a sentir. Olho pró relógio, e em vez do tregeito de preocupação pela hora adiantada, solto mais uma gagalhada involuntária - "Ainda estou acordado a pensar nisto????!!! Estou doido??" - e divago de novo imediatamente, rápidamente esquecido da preocupação com as horas adiantadas da madrugada.

E a madrugada chega, e o sol nasce ali p'ra trás da Serra de Carnaxide * , e eu em vez de o cumprimentar de sobrolho franzido como sempre, fico apenas a vê-lo nascer. Apenas. E, com surpresa, quando me volto, intercepto, no meu reflexo na janela da marquise, o tal sorriso. :)



É. Acho que já não é tão insónia como isso. É vigilia. Afinal, acho que ainda nada está perdido. Nem o tal sonho.

Vou ter que reflectir, está visto. Isto é até assustador. Fiquei tão agarrado às minhas insónias que isto agora é como se fosse um mundo totalmente novo para mim. Será que vou ter que deixar de ser amargo, desagradável e desafiador? heheheh, acho que essa mudança já começou e, como o universo, suspeito que é imparável agora. Estou à espera. E estou contente por ter, finalmente, acontecido.

É isso, as reflexões têm que ser feitas. Tantas insonias já se passaram desde o último post, que agora vou ter que pôr alguma escrita em dia. Mas este aqui vai já, para marcar sem qualquer equívoco o momento em que me apercebi da mudança. E datá-lo, pois. É que, entandam, é mesmo importante e surpreendente!

Boas madrugadas (e vigílias), pessoal!!

O vosso, sempre,

-Sérgio


* (enfim, pode haver aqui uma inexactidãozinha geográfica, perdoem-me, hehehehe)
sinto-me: Finalmente, bem disposto!
|| tags: ,
publicado por Sergio às 17:40
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Witty a 1 de Dezembro de 2006 às 23:56
... " laudate"... ! E, sorrindo com o teu sorriso, aguardamos o momento em que te declares " vagamente" feliz. Ele está p'ra chegar !!! ;- )

Comentar post

|| mais ...

pesquisar

 

Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
23
24
25
26
27
28
29
30

|| posts recentes

Desistir da Felicidade é ...

Havia uma luz...

All is forgotten...

Sem dormir, outra vez

Desculpem...

A rasoura de Occam, o meu...

Queres ser Escritor em Po...

Não é giro, mesmo, que fa...

Sera que vem aí o bom tem...

Fraude no paraíso das ant...

Praxe Administrativa

Estíolo

A doce calmaria

Acabei de notar...

Manifesto (de Janeiro...)

|| arquivos

Abril 2012

Março 2012

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Março 2011

Fevereiro 2009

Setembro 2008

Fevereiro 2008

Junho 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Dezembro 2005

|| tags

todas as tags

|| favoritos

Efeméride

Os velhos do restelo

|| links

|| imagens

blogs SAPO

subscrever feeds